Projeto Xadrez nas Escolas é implantado na rede municipal e estimula raciocínio lógico dos alunos

Projeto Xadrez nas Escolas é implantado na rede municipal e estimula raciocínio lógico dos alunos

08 MAI 2019

Projeto Xadrez nas Escolas é implantado na rede municipal e estimula raciocínio lógico dos alunos

A lógica e o raciocínio sempre foram qualidades que as escolas da rede municipal de ensino da Prefeitura de Juquiá, por meio da Secretaria Municipal de Educação, buscam incentivar nos estudantes. O projeto xadrez teve início no ano passado nas escolas EMEF Profª Terezinha de Lordes Jaze e EMEF Profª Maria do Carmo Monteiro de Mello, com as professoras Nilza Alves de Lima e Janete Florindo.

Esse ano além de permanecer nessas escolas, o projeto foi ampliado e também está acontecendo nas escolas EMEF Profª Lydia Cortez de Aquino e EMEF Profª João Veiga Martins. Cada período de aula tem a sua turma constituída através de uma inscrição que é realizada na escola. São duas aulas semanais por turma e por ser uma atividade complementar, acontecem no horário contrário ao que o aluno estuda.

No momento há cerca de 80 participantes, número que está crescendo devido as novas inscrições a cada semana. Esse ano as aulas estão sendo ministradas pelas professoras Fernanda Inácia Dionísio e Laís Alves de Moraes, que tem mantido o empenho e a dedicação presentes nesse projeto desde que ele foi criado.

Segundo o Secretário de Educação Junior Cruz, o jogo de xadrez desenvolve o raciocínio lógico e o nível de concentração dos estudantes, contribuindo para o aprendizado em sala de aula principalmente nos cálculos matemáticos. –“ Os alunos estão muito motivados, nossa expectativa é melhorar ainda mais os índices de aprendizado”, destacou o secretário.

Para o prefeito Renato Soares, o xadrez é um importante instrumento educativo, que acaba transcendendo o jogo em si, impulsionando a construção de um processo educativo na escola e também em casa. – “Visitei as escolas e pude ver de perto a interação dos alunos nas atividades que objetivam ajudar os alunos a se tornarem mais centrados, forçando-os a pensar e a atingir, por meio disso, um amadurecimento intelectual”, concluiu o prefeito.